Terça-Feira, 16 de Outubro de 2018

Notícias

Quarta-Feira, 13 de Junho de 2018 11:01

Malas prontas

Cuiabanos se preparam para torcer pela seleção na Rússia

Torcedores embarcam para a Copa do Mundo na próxima semana
Cuiabanos se preparam para torcer pela seleção na Rússia A jornalista Lara Belizário está empolgada para assistir aos jogos da Copa 2018

O caminho para a Copa de 2018 na Rússia já foi aberto por alguns destemidos torcedores cuiabanos. A jornalista Lara Belizário, por exemplo, está com passagens marcadas para embarcar no dia 20 de junho e organiza as malas para encarar a aventura.

Lara vem se preparando para assistir aos jogos desde novembro de 2017. Ela conta que quem teve a ideia foi o seu marido, que é um grande entusiasta do futebol. A jornalista também possuía um grande desejo, mas por conhecer a Rússia.

Eles farão a viagem com mais um casal de amigos e vão passar ao todo 15 dias fora.

“A gente está indo para a Rússia, outro lado do mundo. A gente está esperando se divertir bastante, comer coisas diferentes, ver lugares diferentes e ter oportunidade de conversar com pessoas de outros países. E ver o Brasil ganhar todos os jogos”, afirmou.

Já Sissy Cambuim, também jornalista, embarca para a Rússia no dia 23. No Mundial que aconteceu no Brasil, em 2014, ela chegou a assistir alguns jogos e foi completamente tomada pelo clima da torcida. Foi aí que ela decidiu viver essa experiência em um país diferente.

“Fui contagiada pelo clima da Copa e já decidi que na próxima eu vou. Com o passar do tempo, correria, acabei nem me planejando muito. Aí, no ano passado, retomei a ideia”, contou Sissy.

A jornalista conta que a expectativa é grande para conhecer o máximo possível do país nos cinco dias de viagem. "Quanto mais pesquiso, mais encantada eu fico”, afirmou com entusiasmo.

Ela vai deixar o Brasil junto com outro colega de profissão, Renan Marcel. Ele nunca participou de nenhuma Copa, no entanto também sempre foi contagiado pelo clima da torcida. Então foi facilmente convencido pela amiga a se jogar nessa aventura em solo russo.

“Em 2014, quando Cuiabá foi sede de quatro jogos, eu estava trabalhando em dois empregos. Então era bem corrido. No ano passado ela me falou da ideia de ir para a Copa de 2018. E eu topei”, revelou Renan.

O planejamento

Sissy e Renan planejaram toda a viagem de maneira independente, sem compra de pacotes por agências de viagens, o que custou em torno de R$ 10 mil para cada um.

Ela conta que todo o processo de organização da viagem foi trabalhoso, pois nunca havia participado de um evento como esse fora do país.

“Como a única Copa que eu tinha participado presencialmente foi aqui em Cuiabá, foram inúmeras dúvidas para o planejamento. Até porque para este Mundial algumas novidades surgiram, como a necessidade do Fan ID”, disse.

No entanto, nas redes sociais ela encontrou um grupo de mulheres que também planejavam a viagem para o Mundial. As mulheres então se uniram e criaram o projeto Elas na Copa, que auxiliou outras torcedoras nesse planejamento.

“Como a maioria dos torcedores, historicamente, que vão para a Copa é de homens, as mulheres que estavam participando dos grupos nos Whatsapp decidiram se unir. Somos cerca de 50 mulheres de todas as regiões do país que nos unimos para tirar as nossas próprias dúvidas”, revelou Sissy.

Já Belizário e seu marido organizaram um tabela com tudo que precisariam fazer para conseguirem viajar e encontram muita ajuda em vídeos no Youtube. Eles também passaram a economizar dinheiro desde o início de 2017.

“A gente fez uma tabela e tentamos adequar o nosso orçamento para conseguir ir para a Copa”, disse Lara.

Dificuldades

Segundo Sissy, surgiram alguns obstáculos diferentes no meio do processo de planejamento que ela não esperava.

“Para outras viagens, o principal trabalho era fechar passagem, hospedagem e verificar exigências de visto. Neste caso, teve a compra dos ingressos. Fazer o Fan ID. E tem a questão do registro migratório, que é um documento que é fornecido pela hospedagem”, revelou.

Outra dificuldade enfrentada foi encontrar hospedagem por um valor que coubesse no bolso. Por causa da intensa procura neste período, os preços subiram muito.

Ela conseguiu reservar a hospedagem em janeiro, porém não era bem o que ela desejava.

“Consegui por um preço justo. Mas, na ansiedade por fechar logo, vendo a dificuldade que todo mundo estava enfrentando, acabei fechando um hotel distante do centro”, lamentou.

Lara também enfrentou dificuldades com a alta dos valores de hotéis. Por conta disso, ela optou por alugar uma casa pelo site de aluguel de hospedagem Airbnb. No entanto, também não foi uma tarefa fácil.

“A maioria das casas no Airbnb é de pessoas idosas, que falam pouco o inglês. Muito difícil. E, enquanto lá está de manhã, aqui está de madrugada. Foi bagunçado, mas estamos com tudo certo”, expôs.

Como o próprio alfabeto, o cirílico, é completamente diferente, a questão do idioma também preocupa os viajantes.

“O que a gente lê na internet é meio aterrorizante. Mas a gente vai com tudo desenhado, porque não tem condições. A gente está morrendo de medo. A instrução é: se você vai pegar um trem, um metrô, vá com tudo desenhado na língua deles”, alertou Lara.

Já a compra de ingressos para os jogos foi outra dor de cabeça para os torcedores cuiabanos. Os jornalistas precisaram acordar de madrugada para conseguirem comprar pelo site da FIFA.

“Não consegui ingresso para o jogo do Brasil, mesmo tendo acordado de madrugada em todas as fases. Os ingressos, que foram vendidos pela FIFA por preços a partir de US$ 105,00 [R$ 390,00 na cotação atual], já estão sendo comercializados em sites de venda por, no mínimo, R$ 2.200,00”, revelou Sissy.

Ela conseguiu um ingresso em um jogo das oitavas de final que acontecerá no Luzhniki, em Moscou. Neste estádio será realizada a final do Mundial.

Lara e seu marido usaram uma estratégia para conseguir os ingressos que queriam.

“A gente teve que acordar de madrugada, às 4h. Eu com um computador ligado e meu marido com outro, porque são duas contas. Então eu tentava em uma, e ele em outra”, relata ela.

Com isso, o casal conseguiu adquirir ingressos para três jogos: Brasil e Costa Rica, França e Dinamarca e um das oitavas de final na esperança de que a seleção brasileira passe em primeiro lugar.

Fonte: Mídia News

NOTÍCIAS RELACIONADAS

{{countcoment}} COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
{{car.nome}}
{{car.comentario}}
{{car.mais}}
{{car.menos}}